Seja Bem-Vindo. Hoje é

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

A Morada de Deus

Por misericórdia e amor ao ser humano Deus caiu na besteira de construir um templo que servisse de lugar de adoração. Primeiro um tabernáculo, quando o povo ainda não tinha uma residência fixa; depois o templo, quando se estabeleceram na terra de Canaã.
Mas aquilo que ajudou o povo a ter uma noção da existência de um Deus vivo e real também concorreu para limitar a própria ação divina na mente das pessoas. Desde então o povo de Deus não consegue mais ficar sem seus “templos”.
Se não tivermos um templo-igreja onde possamos adorar e nos encontrar com Deus ficamos como um peixe fora da água, temeroso por faltar a água da vida que somente jorra lá dentro do “tabernáculo”.
Impelido pela nossa fraca noção de Deus construímos prédios e edifícios com pedra, tijolo, ferro, argamassa, madeira e tantos outros materiais, protegemos eles com cercas, damos-lhes o nome de “igreja” e “consagramos tudo ao Senhor”. Os materiais que certamente foram produzidos por “pessoas impuras” devem ser “purificados”. Todo o local, inclusive o espaço geográfico delimitado, é “consagrado ao Senhor”, local onde devemos praticar o respeito e a reverência, sob pena de castigo.
Nesse local “consagrado ao Senhor”, com endereço certo e bem definido, colocamos Deus para “morar”. Dizemos: “é um lugar santo, pois é a ‘casa’ de Deus”.
E assim vivemos nossa vida religiosa. Passamos a semana toda correndo atrás da sobrevivência física e buscando satisfazer nossa lascívia materialista. Quando a consciência pesa, ou por costume ou hábito, ou por qualquer outra coisa, resolvemos ir à “casa de Deus” para visitar-lhe e permanecer um tempinho com Ele. Lá, dentro da “casa de Deus”, em lugar "santo e consagrado", tentamos hipocritamente praticar um comportamento de verdadeiros adoradores por meio de liturgias bem elaboradas.
Ao terminar o “encontro com Deus”, saímos e dizemos-lhe: “não fique preocupado, Deus, daqui a uma semana, ou duas, talvez, se tudo der certo, voltaremos para te ver. Não fique triste nem deprimido, porque da próxima vez realizaremos um culto que vai te deixar emocionalmente bem satisfeito”.
Nessa “casa de Deus” por ser um lugar "santo e consagrado" não pode entrar pecadores e pessoas impuras. Caso entre causará muito escândalo e o Senhor não aceitará. Por isso pecadores não são bem vindos lá. “Purifiquem-se primeiro e depois vão à ‘casa de Deus’”, doutrinamos. Muitas coisas podemos até fazer, mesmo que sejam perversas e nocivas à fé e ao próximo, mas desde que não seja dentro da “casa de Deus”, pois lá é lugar “consagrado ao Senhor”.
Num certo dia da minha jornada de fé comecei a me perguntar: Deus habita mesmo num determinado lugar no espaço e no tempo? Qual é o endereço Dele? Onde Ele reside, para que possa ir ao seu encontro? Como conseguimos ter certeza de que Ele realmente habita num determinado espaço físico, diante de tantas e tantas “casas de Deus” espalhadas por aí afora? Existem lugares sagrados, ou mais sagrados, na geografia humana?
Para minha surpresa e perplexidade descobri que o lugar onde Deus menos habita são os templos-igrejas construídos pela religião do homem. Descobri que o lugar onde Deus menos está e gosta de frequentar é exatamente aquele onde se diz que Ele mais gosta de estar e frequentar.
Se alguém me perguntar como fazer para fugir da presença de Deus, digo para ir a um templo-igreja, especialmente em dia de culto. Lá, provavelmente se vai estar bem escondido de Deus.
É triste e a coisa é séria, mas é uma realidade a respeito da qual não podemos nos furtar. Quando o Filho de Deus esteve encarnado aqui no mundo foi impedido de freqüentar o templo “consagrado ao Senhor” e de lá expulso!!! O “povo de Deus” que freqüentava a “casa de Deus” matou o próprio Deus!!!
Ainda bem que a Bíblia Sagrada existe, e o Espírito Santo também. Foi nela que obtive respostas para as minhas indagações. Não encontrei resposta apenas para uma pergunta: por que demorei tanto em descobrir?
Para os fariseus, que também sofriam da necessidade patológica de estabelecer locais puros para a habitação do Deus que não cabe no Universo, o Salvador Jesus disse: “Não vem o reino de Deus com visível aparência. Nem dirão: Ei-lo aqui! Ou: Lá está! Porque o reino de Deus está dentro de vós” (Lucas 17.20-21).
O apóstolo Paulo explicou aos atenienses que “o Deus que fez o mundo e tudo o que nele existe, sendo ele Senhor do céu e da terra, não habita em santuários feitos por mãos humanas. Nem é servido por mãos humanas, como se de alguma coisa precisasse” (Atos 17.24-25).
O mesmo escritor em 1 Coríntios 3.16 perguntou: “Não sabeis que sois santuário de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós?"
Volto a perguntar: por que foi tão difícil enxergar essa verdade básica?
Iluminado com essa revelação, hoje me sinto muitíssimo grato e privilegiado por Deus estabelecer seu reino dentro de um pecador como eu. Agora não preciso mais ficar perambulando pelas estradas da religião à procura do endereço da morada de Deus, ou de um local geográfico consagrado e santo onde Deus habita, nem implorar aos “donos" da "casa de Deus” que marquem uma audiência para que o Senhor me atenda.
PORQUE O SALVADOR JESUS MESMO ME DISSE QUE O REINO DE DEUS ESTÁ DENTRO DE MIM!
Esse reino eterno nem o diabo nem o mundo podem tirar de mim, nem mesmo os “donos” da “casa de Deus”, porque absolutamente nada "poderá separar-nos do amor de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso Senhor" (Romanos 8.39).
E a mesma misericórdia que levou Deus a construir um local geográfico de adoração para o povo do Antigo Testamento, também O leva a nos perdoar e continuar nos amando mesmo sendo o que somos: filhos amados bem intencionados tentando a todo custo enquadrar o Deus do Universo em nossas concepções humanas.

Em Jesus, que mora em nós pela fé, amém.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua participação.