Seja Bem-Vindo. Hoje é

domingo, 28 de outubro de 2012

A Reforma Protestante do Século XVI

1 – O QUE FOI A REFORMA PROTESTANTE?

A Reforma Protestante foi um movimento religioso iniciado no século XVI, na Alemanha, cujo principal personagem foi Martinho Lutero. Em 31 de outubro de 1517 Lutero afixou na porta da Igreja do Castelo de Wittenberg 95 teses, por meio das quais protestava contra diversos pontos da doutrina da Igreja Católica e propunha uma reforma no catolicismo.Os princípios fundamentais da Reforma Protestante são conhecidos como os Cinco Solas. Sola é uma palavra de origem latina que significa “somente” (Sola fide: somente a fé; Sola scriptura: somente a Escritura; Solus Christus: somente Cristo; Sola gratia: somente a graça; e Soli Deo gloria: glória somente a Deus).Lutero foi apoiado por vários religiosos e governantes europeus e provocou uma revolução religiosa, que iniciou na Alemanha e estendeu-se pela Suíça, França, Países Baixos, Reino Unido, Escandinávia e algumas partes do Leste europeu, principalmente os Países Bálticos e a Hungria.Todas as igrejas cristãs existentes hoje, chamadas de Igrejas Protestantes, com exceção da Igreja Católica, tiveram sua origem direta ou indiretamente nessa reforma religiosa iniciada por Martinho Lutero.

2 – POR QUE A REFORMA PROTESTANTE ACONTECEU E O QUE ELA DESEJAVA MUDAR?
A Reforma Protestante aconteceu por causa de vários erros de doutrina existentes na igreja daquela época: a Escritura Sagrada, que era restrita apenas aos líderes, não era a única fonte de autoridade em regra de fé, mas acrescentava-se a ela a Sagrada Tradição (ensinamentos transmitidos pelos Bispos e Papas de geração em geração com a mesma autoridade da Escritura). Ao papel de mediador de Cristo entre Deus e os homens era acrescentada a mediação de Maria, dos santos e do Papa. À salvação pela graça mediante a fé eram acrescentados obras e méritos humanos. Por conseqüência, esses erros levavam o povo a adorar e glorificar muito mais a igreja e suas tradições do que o próprio Deus. (Existiam ainda outros desvios da Palavra, no entanto esses apresentados são os principais).Diante desse quadro o movimento da Reforma Protestante desejava reformar esses erros doutrinários: pregava que a Bíblia é a única fonte de fé, podendo e devendo ser lida e estudada por qualquer pessoa; que Cristo é o único e exclusivo mediador entre Deus e os homens, não existindo qualquer outra forma de mediação; que a salvação da alma do pecador opera-se única e exclusivamente pela graça mediante a fé, independentemente de sacrifícios ou obras, por melhor que sejam; e que Deus deve ser a única pessoa a ser adorada e glorificada, por mais devota e digna de respeito que seja qualquer pessoa ou ser.

3 – QUAL O LEGADO DA REFORMA PROTESTANTE PARA A IGREJA, OU SEJA, O QUE A REFORMA TROUXE DE BOM PARA A IGREJA CRISTÃ?

A Reforma Protestante resgatou as verdades fundamentais da doutrina cristã: Que a Bíblia é a única fonte de autoridade de fé e conduta para os filhos de Deus aqui na Terra; que Jesus Cristo é o único e exclusivo mediador entre Deus e os seres humanos; que a salvação da alma do pecador somente é obtida pela graça, por meio da ; que apenas Deus deve ser adorado e glorificado.Naquela época apenas os padres, bispos, Papas e teólogos tinham acesso a um exemplar das Escrituras Sagradas, pois afirmavam e ensinavam que só a eles era dado o entendimento dos textos bíblicos. Com a Reforma, elas foram reproduzidas em grande escala e distribuídas para todos aqueles que desejavam ter um exemplar. Com a leitura e o ensino da Bíblia as pessoas descobriram que elas mesmas podiam a qualquer tempo ter acesso a Deus, através do único mediador que é Cristo Jesus. Também descobriram que o perdão e a salvação não dependem de penitências, indulgências, esmolas, jejuns ou qualquer outra obra humana, mas somente da obra redentora de Cristo realizada na cruz do calvário. Ainda, descobriram que a consciência humana deve obediência apenas a Deus, e não a determinada denominação ou líder religioso. E por fim, descobriram que Deus não elege uma pessoa para ser seu representante aqui na Terra, mas que todo aquele que pela fé crê em Deus é um sacerdote de propriedade exclusiva de Deus, com a missão de proclamar as virtudes Daquele que chama o pecador das trevas da perdição para a maravilhosa luz do evangelho.


4 – QUEM FOI MARTINHO LUTERO?
Martinho Lutero era um padre. Ele nasceu em 10 de novembro de 1483, em Eisleben, na Alemanha, e morreu na mesma cidade no dia 18 de fevereiro de 1546, com 62 anos.De família humilde, seus pais deram-lhe estudo para que tivesse uma vida menos difícil e sofrida. Lutero aproveitou a oportunidade e se dedicou aos estudos, formando-se em artes, lógica, retórica, física e filosofia. Tornou-se também mestre em matemática, metafísica e ética. Depois cursou teologia e foi ordenado padre, recebendo mais tarde o título de doutor em teologia.Depois que foi expulso da igreja, Martinho Lutero casou-se com a ex-freira Catarina de Bora, com quem teve vários filhos.Ele traduziu a Bíblia para o alemão, contribuindo, com esse fato, para ser o principal responsável pela formação da língua alemã moderna, que naquele tempo era apenas dialeto.Martinho Lutero era professor, pregador, tradutor, conhecedor de várias línguas, compositor de hinos, teólogo e escritor.

5 – QUE FONTE REVELOU A MARTINHO LUTERO QUE A GRAÇA DE DEUS É REALMENTE DE GRAÇA?
Existem várias religiões, seitas e movimentos religiosos que nasceram com base em supostas revelações sobrenaturais divinas. Líderes alegam terem recebido a visita de Deus através de sonhos, visões ou outros tipos de revelações, e por isso afirmam estar com a verdade a respeito das coisas que pregam.Com Martinho Lutero isso não aconteceu. A fonte usada pelo Espírito Santo para mostrar a Lutero que a salvação da alma do pecador realmente é de graça foi a revelação escrita das Sagradas Escrituras. Ali, na Bíblia, ele descobriu o seguinte versículo no livro de Romanos, 1.17: “visto que a justiça de Deus se revela no evangelho, de fé em fé, como está escrito: O justo viverá por fé”. Na versão Nova Tradução na Linguagem de Hoje, diz assim: “Pois o evangelho mostra como é que Deus nos aceita: é por meio da fé, do começo ao fim. Como dizem as Escrituras Sagradas: ‘Viverá aquele que, por meio da fé, é aceito por Deus’”.Lutero, que antes havia se empenhado de forma espetacular para agradar a Deus por meio das suas obras, descobriu finalmente que tudo aquilo que de melhor podia produzir não era capaz de aproximá-lo de Deus. Mesmo tendo uma moral exemplar através de suas obras de penitência e abnegação, não conseguia de jeito nenhum encontrar a paz de espírito e a alegria da salvação. Quanto mais tentava agradar a Deus, mais se sentia distante de Dele. Era semelhante a alguém tentando mover uma pedra grande e pesada fazendo uso de uma corda de borracha: quanto mais puxava a corda, mais a corda se esticava e mais a pedra ficava distante.Mas fazendo uso somente da Bíblia Sagrada Lutero descobriu que Jesus é o único mediador entre Deus e os homens, e que a salvação é de graça e a fé, um dom. A partir do momento dessa descoberta o movimento que mais tarde se chamaria Reforma Protestante irrompeu com uma força que ninguém pôde conter.Portanto, a fonte que o Espírito Santo usou para dizer a Martinho Lutero que “ao que trabalha, o salário não é considerado como favor, e sim como dívida. Mas, ao que não trabalha, porém crê naquele que justifica o ímpio, a sua fé lhe é atribuída como justiça” (Romanos 4.4-5), foi a Bíblia. Não foi arrebatamento, visão, sonho nem outra revelação que iluminou Lutero, mas a revelação escrita da Palavra. Foi na Bíblia que ele soube que “sem fé é impossível agradar a Deus” (Hebreus 11.6).

6 – E SE NÃO FOSSE MARTINHO LUTERO, TERIA HAVIDO REFORMA NA IGREJA?
Lutero era uma pessoa dotada de grandes capacidades intelectuais, tinha muita sabedoria, mas não foi por esse fato que Deus o usou. Martinho Lutero foi usado na Reforma Protestante apenas porque Deus o escolheu para essa tarefa. Além do mais, na época havia vários outros reformadores que foram usados para realizar a Reforma Protestante fora da Alemanha, como Calvino, Úlrico Zwinglio, Guilherme Farel e Jonh Knox. Lutero, perante os homens, foi o maior deles.Se não fosse Lutero, teria sido o “João”, o “Sicrano” ou o “beltrano”, ou qualquer outra pessoa, porque “se eles se calarem, as próprias pedras clamarão” (Lucas 19.40).É sempre bom lembrar que Lutero não queria criar outra igreja ou dividir a Igreja Católica. Ele lutou incansavelmente na tentativa de convencer seus líderes religiosos de que a graça de Deus é realmente de graça, mas não conseguiu.Um sistema, principalmente o sistema religioso, é muito difícil de ser mudado, praticamente impossível (Jesus não se preocupou em mudar o sistema da religião dos Judeus, e sim, as pessoas). No entanto, a ação do Espírito Santo não fica preso dentro de quatro paredes de uma igreja, muito menos limitada a teologias, doutrinas, liturgias, costumes, tradições, estatutos, concílios, líderes ou qualquer outra forma de "prisão" do evangelho de Cristo.Porque, como o Salvador mesmo disse: “o vento sopra onde quer, ouves a sua voz, mas não sabes donde vem, nem para onde vai” (João 3.8).

7 – SE LUTERO VIVESSE HOJE, QUAL A FALSA DOUTRINA QUE ELE MAIS COMBATERIA?
Se Martinho Lutero vivesse hoje certamente haveria de realizar uma nova reforma dentro da chamada Igreja Evangélica. Como naquele tempo, também seria perseguido e rejeitado por causa do evangelho da graça.Com o tempo a igreja reformada, chamada de protestante, foi aos poucos introduzindo novas “versões” do evangelho de Deus em seu meio, chegando ao ponto de até perverter totalmente a boa nova de salvação resgatada pelos reformadores no século XVI.Na época de Lutero a situação doutrinária da igreja estava muito feia, quando chegou ao cúmulo do absurdo de se “vender” a salvação por meio das indulgências – pagamento em dinheiro pelo perdão. Hoje, infelizmente, dentro de muitos círculos evangélicos nem da salvação se fala. Lá, no século XVI, ainda se “vendia” a salvação; nos nossos dias, em boa parte da igreja nem de salvação se fala mais, mas se “vende” curas, saúde física, instrução para se alimentar e vestir, dinheiro, riqueza e prosperidade, sucesso pessoal e profissional, conduta ética e moral, teologias, doutrinas, costumes, tradições, liturgias e um tanto mais de “mercadorias” religiosas. Talvez em nosso tempo o evangelho da graça de Deus esteja sendo mais pervertido e comercializado do que na época da Reforma. Se o reformador Martinho Lutero viesse hoje nos visitar, com certeza ficaria muito decepcionado e faria a maior arruaça dentro das nossas igrejas. Ele começaria uma nova reforma pregando a mesma mensagem da justificação pela fé contra a mesma e maior das heresias: a salvação por obras.Mas graças a Deus que o Espírito Santo tem levantado mundo afora muitos “Martinhos Luteros” que não se acovardam e têm coragem de proclamar que a GRAÇA de Deus é de GRAÇA mesmo.Porque, afinal de contas, a mensagem do evangelho da graça não muda nunca:
“visto que a justiça de Deus se revela no evangelho, de fé em fé, como está escrito: O justo viverá por fé”.

Na justiça de Cristo, de fé em fé, amém.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua participação.