Seja Bem-Vindo. Hoje é

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Diário da Vida Real


Nas nossas visitas de domingo ao hospital público temos aprendido grandes lições de vida as quais não poderíamos enumerar. As experiências às vezes nos assustam, nos surpreendem, nos emocionam, nos chocam. Ao encontrarmos as pessoas lá hospitalizadas podemos ver de perto as suas dificuldades e uma pequena parcela dos seus problemas. Podemos ouvir suas carências, conversar, confortar e dar um pouco do apoio espiritual que elas precisam. E apesar de todos os seus problemas, muitas delas têm aceitado o evangelho pregado lá. E isto para nossa surpresa.

No último domingo o que mais nos chocou foi o fato de que em todos os quartos havia pessoas com problemas graves. No primeiro quarto estava um senhor que não tinha as pernas, não podia andar e nem falar; para as coisas mais simples do nosso cotidiano ele precisava de ajuda. No quarto seguinte estava um deficiente mental com problemas respiratórios graves. No outro, uma mãe prestes a dar à luz a um bebê de oito meses, que ainda não estava pronto. Ela sentia muitas dores. Havia também um morador de rua, provavelmente doente por causa do álcool, sem família e sem ninguém para olhar por ele. No último quarto estava uma senhora de aproximadamente 85 anos com problemas graves de visão e que há trinta anos não pode enxergar. Por causa da falta de visão e ausência de movimentos ela desenvolveu uma atrofia nos membros inferiores. Ela já não fala com clareza e não ouve bem.
O que fazer diante desta tão difícil realidade? O que dizer para aquelas pessoas? Dizer que a vida é assim mesmo? Seria muito cruel! E se disséssemos que Deus poderia curá-las se elas tivessem fé, estaríamos lhes atribuindo uma responsabilidade que elas não poderiam suportar. O que dizer então? Sinceramente eu não sabia o que dizer, assim como não sei agora.
Mas, creio que movidos pelo Espírito Santo falamos do Amor infinito de Deus por cada uma daquelas pessoas.
Falamos que ele sabe o que é sofrer, assim como elas sabem.
Falamos que ele deu o seu único Filho Jesus Cristo, para pagar pelo pecado de todas as pessoas, porque ele as ama com um amor eterno.
Falamos que um dia todo esse sofrimento terá fim e que todo aquele que crê nestas palavras: “Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu seu único Filho para que todo aquele que nele crê não morra, mas tenha a vida eterna.” (João 3.16), terá a vida verdadeira.
E... por mais incrível que possa parecer, não houve rejeição por parte deles. Eles aceitaram e confirmaram sua fé em Jesus imediatamente. De onde menos esperávamos veio a certeza da esperança e uma confiança ardente nas palavras de Jesus.

Michele
Espigão do Oeste – RO
18/09/2012

Um comentário:

  1. Dizia um professor de Teologia que tive, que, para sermos verdadeiros evangelistas, uma das experiências que deveríamos experimentar eram as visitas a hospitais, presídios e casas de apoio. Ele dizia q esses lugares falam por si mesmos e nos ensinam a ser mais humanos, na verdade, recebemos mais do que levamos!

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua participação.