Seja Bem-Vindo. Hoje é

sexta-feira, 29 de junho de 2012

Quem é Jesus Para Você?

Como Jesus Cristo deve ser apresentado ao mundo é uma questão de grande importância para a igreja cristã. Conforme a mensagem, assim também será o entendimento sobre o Salvador.
Diante de uma infinidade de denominações religiosas existentes hoje em dia, as pessoas ficam confusas a respeito da melhor forma de identificar o Cristo enviado de Deus, visto que cada ramo cristão O apresenta com características bem divergentes.
Não é difícil conceber que a religião humana é uma indústria bem engendrada para “fabricar” vários tipos de salvador. Tendo como base ideias preconcebidas do condicionamento religioso e demais experiências humanas, a igreja às vezes se apresenta como um supermercado que oferece todo tipo de mercadoria visando a atender as mais variadas preferências de seus clientes. E Jesus, é claro, é feito por encomenda para satisfazer a demanda de consumo das necessidades do ego do homem.
Há o Jesus Católico, o Jesus Reformado, o Jesus Evangélico, o Jesus Pentecostal, o Jesus Espírita, o Jesus Judeu, o Jesus Budista, o Jesus Político, o Jesus Moderno, o Jesus da Teologia e muito outros. Dentro de cada corrente religiosa Jesus é “fabricado” de acordo com particularidades doutrinárias bem sistematizadas e elaboradas.
De fato, Jesus é apresentado de várias maneiras pelas religiões: o Jesus das regras e regulamentos, por meio do qual podemos atingir a excelência do comportamento moral e ético. O Jesus provedor, que provê as necessidades financeiras e econômicas do sistema capitalista. O Jesus curandeiro, cuja função é livrar o ser humano do sofrimento causado pelas doenças. O Jesus das meditações, aquele que melhora as pessoas interiormente fazendo-as sentirem-se bem consigo mesmas. O Jesus asceta, ensinador de um estilo de vida austero de abnegação e mortificação da carne com o objetivo de adquirir espiritualidade. O Jesus da razão, provedor de respostas racionais a todos os questionamentos produzidos pela mente humana. O Jesus da fé sobrenatural, que dá poder ao indivíduo para conseguir o que quiser. O Jesus mágico, voltado para impressionar através de prodígios e sinais miraculosos. O Jesus do entretenimento, fabricado para divertir e distrair num mundo moderno tão assoberbado de tarefas estressantes. O Jesus político e social, oferecedor da melhor forma de governo e planos políticos para tornar a sociedade mais justa. O Jesus ativista, que se engaja por lutar e defender alguma atividade julgada importante e urgente. O Jesus das igrejas, o salvador somente dos católicos, apenas dos luteranos, só dos batistas etc.
E assim vai. O espaço aqui não permite e nem pretendo apresentar e discorrer sobre todos os tipos de Jesus fabricados pelas religiões. Nem seria possível essa tarefa, haja vista que em certo sentido para cada pessoa existe um Jesus diferente.
Há uma confusão generalizada em torno da pessoa e do papel de Jesus Cristo na história do homem. Sendo assim, pergunto: Como Jesus pode ser identificado num mundo religioso tão conturbado e confuso? Como dar credibilidade à mensagem da igreja cristã em meio a tantas “fábricas religiosas”? Qual é o Jesus verdadeiro, se existe um, capaz de causar impressão e impacto na sociedade que o torne confiável? Afinal de contas, quem é Jesus para você? O que Ele representa para a sua vida? De que forma você pode, ou deseja, ser beneficiado por Ele?
Se Jesus servir apenas para satisfazer os interesses do ego humano podemos “fabricar” tantos quantos forem necessários. Por essa via Jesus se tornar uma expressão de ideologias humanas, apresentando-se mais como sustentáculo e mantenedor de sistemas religiosos do que como Salvador.
Mas se olharmos para Jesus como a expressão exata do Deus do Universo, veremos que Ele não se encaixa em nenhuma forma de sistema por nós criada. A nossa religião fabrica o “nosso Jesus”, o “meu Jesus”, o “Jesus da minha religião”, o “Jesus das pessoas boas”, mas dificilmente o Jesus dos evangelhos fruto da graça divina.
Se a Bíblia está falando a verdade e quisermos dar crédito à narração dos evangelhos, seremos obrigados a desvincular Jesus de todas as “fabricas religiosas” criadas ao longo da história humana. É simplesmente impressionante a disparidade entre o Jesus dos evangelhos e o Jesus da concepção humana!
O Jesus apresentado pelos evangelhos é uma pessoa que veio realizar uma missão completa e absolutamente singular, cuja obra difere radicalmente da engenhosidade religiosa. O Jesus da Bíblia é o Enviado do céu para reconciliar o mundo com Deus, é o preço da redenção dos pecadores, é o Caminho da vida eterna, é o Senhor cujo reino não é desse mundo nem pode estar restrito ao tempo e espaço.
Para a Escritura, Jesus é o Amor de Deus para um mundo caído sem amor e perdido em delitos e pecados. É Aquele que ama, perdoa, acolhe, aceita, regenera para uma viva esperança, dá sentido para a existência, e oferece algo infinitamente melhor do que as experiências humanas conseguem produzir e oferecer. É exatamente dessa forma que os evangelhos apresentam Jesus. Se dermos crédito à narração bíblica acerca da vida e obra de Cristo, então podemos confiar que Ele é de fato o Salvador de Deus enviado para realizar uma missão especial, muito mais especial do que aquilo que conseguimos fabricar e imaginar por nós mesmos.
Quem é o Jesus dos evangelhos?
Lucas 2.11: “hoje vos nasceu, na cidade de Davi, o salvador, que é Cristo, o Senhor”.
João 1.14: “E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade, e vimos a sua glória, glória como do unigênito do Pai”.
João 1.29: “viu João a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!”
Mateus 16.15-16: “Mas vós, continuou ele, quem dizeis que eu sou? Respondendo Simão Pedro, disse: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo”.
João 14.6: “Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao pai senão por mim”.
João 5.24: “quem ouve a minha palavra e crê naquele que me enviou tem a vida eterna, não entra em juízo, mas passou da morte para a vida”.
Portanto, nos evangelhos Jesus é o Filho de Deus enviado ao mundo para pagar pelos nossos pecados, é o caminho de perdão e reconciliação com o Pai, é o Salvador da humanidade. Os evangelhos apresentam Jesus como sendo a mais absoluta manifestação da graça divina. Por meio Dele podemos chamar Deus de Papai e construir uma relação de amizade baseada no verdadeiro amor.
Por causa da obra redentora do Salvador Jesus, podemos e devemos confiar que somos perdoados e aceitos por Deus Pai, que não entraremos em juízo, mas passamos da morte para a vida eterna. E que nessa certeza podemos nos firmar sabendo que ninguém jamais poderá nos separar do amor de Deus que está em Cristo Jesus.
O evangelho de João 3.16 define de maneira bem clara quem é Jesus e qual sua obra: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”.
Para finalizar, volto a perguntar: Como identificar Jesus dentro da confusão religiosa de nossos dias? Qual Jesus pode causar uma verdadeira mudança de mentalidade nas pessoas, capaz de produzir amor, alegria, paz, perdão e a esperança da vida eterna? O que Jesus representa para a sua vida? De que forma você espera ser beneficiado por Ele?
Afinal de contas, quem é Jesus para você?

No Espírito Santo, amém.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua participação.