Seja Bem-Vindo. Hoje é

segunda-feira, 26 de março de 2012

Saudade da Vida Eterna

Às vezes bate no peito uma saudade da vida eterna ...
Instala-se na essência no nosso ser uma vontade enorme de viver eternamente, de ser feliz eternamente, de sentir prazer eternamente.
Um desejo intenso de que a vida nunca termine um dia, de que a comunhão com nossa família e amigos nunca acabe.
Uma vontade enorme de ficar eternamente desfrutando da presença das pessoas que amamos.
Uma vontade muito grande de permanecer sentindo-se bem naquelas reuniões agradáveis realizadas em momentos especiais.
Mas quando estamos vivendo um momento mais elevado de alegria logo vem à mente a triste certeza de que um dia tudo acaba.
A certeza de que as pessoas amadas um dia morrerão.
A certeza de que um dia envelhecerei e perderei as forças.
A certeza de que eu morrerei.
A certeza de que tudo na vida passa.
Como eu querida permanecer vivo eternamente para desfrutar a vida ao lado dos filhos, dos netos, dos pais, dos amigos ...
Mas não tem jeito, não. A morte enfim chega com uma força invencível e leva as pessoas que amamos, leva a nossa vida, leva a nossa alegria, leva os nossos sonhos e a vontade de viver eternamente feliz.
Instalado em nosso ser fica só a saudade, a saudade de um lugar onde as alegrias jamais acabam. Fica um pensamento lá no recôndito da nossa alma: “como seria bom se existisse um lugar assim, eterno, onde não houvesse mal nem morte, onde reinasse o amor e a alegria”.
Óh! Morte, porque você tem que existir? Por que você tem que acabar com os nossos sonhos? Porque você tem que tirar de nós as pessoas que amamos? Por que você tem que estar sempre presente em nossas vidas?
Háaa .... se você não existisse, morte! Mas por causa de você só nos resta saudade. Saudade de uma vida que não conhecemos, de uma eternidade que resiste em permanecer em nossa alma, apesar da morte.
De onde vem esse sentimento de eternidade que vive dentro de cada um de nós?
A Bíblia diz que Deus “pôs a eternidade no coração do homem, sem que este possa descobrir as obras que Deus fez desde o princípio até ao fim” (Eclesiastes 3.11).
A Escritura ensina que Deus fez o ser humano para viver eternamente. Isso explica o sentimento de eternidade dentro das pessoas, explica aquela saudade da vida eterna instalada lá no íntimo da alma.
Mas o pecado do Éden infligiu a pena de morte; morte espiritual, física e eterna.
Por causa da transgressão nos separamos de Deus e morremos fisicamente. Por causa da transgressão somos impedidos de viver a eternidade neste mundo gozando da melhor alegria e do melhor amor. Por causa do pecado a morte solapa todas as nossas esperanças.
Mas a notícia boa, a excelente notícia, é que Deus não deixou sua criação à deriva, abandonada a si mesma. Não!
Deus preparou um plano para retornarmos à VIDA ETERNA de bem aventurança com Ele. Deus preparou um meio de acabar com a morte. Deus preparou um caminho de volta a eternidade.
No evangelho de João, 3.16, sabemos desse plano maravilhoso: “Porque Deus amou o mundo tanto, que deu o seu único Filho, para que todo aquele que nele crer não morra, mas tenha a vida eterna” (Versão NTLH).
No mesmo livro de João, 11.25, o próprio Filho de Deus nos garante: “Eu sou a ressurreição e a vida, quem crê em mim, ainda que morra, viverá”.
Ainda no evangelho de João, 6.40, Jesus diz: “De fato, a vontade de meu Pai é que todo homem que vir o Filho e nele crer tenha a vida eterna; e eu o ressuscitarei no último dia”.
Firmes nessas promessas podemos e devemos crer no amanhã. Crer que a morte não é o fim de tudo. Crer que ela é para o cristão apenas uma ponte que o leva àquela eternidade tão desejada pela alma humana. Crer que aquilo que aparentemente é a maior das derrotas na verdade constitui na maior das vitórias.
Lá não seremos atormentados pela separação da morte. Lá não sentiremos saudade da eternidade. Lá não teremos medo do futuro. Lá poderemos desfrutar eternamente da presença das pessoas que amamos. Lá poderemos viver em eterno relacionamento perfeito com o nosso Deus e com as pessoas.
Lá se cumprirá a promessa de 1 Coríntios 15.54, que diz: “E, quando este corpo corruptível se revestir de incorruptibilidade, e o que é mortal se revestir de imortalidade, então, se cumprirá a palavra que está escrita: tragada foi a morte pela vitória”.
“Deus habitará com eles. Eles serão povos de Deus, e Deus mesmo estará com eles. E lhes enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor, porque as primeiras coisas passaram” (Apocalipse 21-5).
Lá, somente lá, “nunca mais haverá qualquer maldição. Nela, estará o trono de Deus e do Cordeiro. Os seus servos o servirão, contemplarão a sua face, e na sua fronte está o nome dele. Então, já não haverá noite, nem precisam eles de luz de candeia, nem da luz do sol, porque o Senhor Deus brilhará sobre eles, e reinarão pelos séculos dos Séculos” (Apocalipse 22-3-5).
Que promessas grandiosas e gloriosas essas!
E o próprio Deus nos garante: “Eis que faço novas todas as coisas. E acrescentou: Escreve, porque estas palavras são fiéis e verdadeiras” (Apocalipse 21-5).

Em nome do Senhor e Salvador Jesus Cristo, amém.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua participação.