Seja Bem-Vindo. Hoje é

domingo, 4 de março de 2012

Qual a finalidade da Bíblia?

A Bíblia Sagrada é o meio pelo qual Deus usa para se comunicar com a humanidade. A Bíblia é a Palavra de Deus, escrita por inspiração divina. A própria Bíblia testemunha de si mesma. Na Epístola de 2 Pedro 1.21 ela diz que “nunca jamais qualquer profecia foi dada por vontade humana; entretanto, homens [santos] falaram da parte de Deus, movidos pelo Espírito Santo.”
Tudo aquilo que o ser humano necessita saber a respeito de Deus e de sua vontade está escrito na Bíblia. Perguntas tais como de onde viemos? O que estamos fazendo aqui neste mundo? Para onde nós iremos depois da morte? Existe um Deus? Quem criou o mundo? e tantas outras a Bíblia responde. E a respeito de sua finalidade, de seu objetivo, de seu propósito, a Bíblia também responde.
Por que Deus preparou a Bíblia para o ser humano? Qual foi o propósito de Deus ao dar a Bíblia ao ser humano? Por que ela foi escrita e entregue a nós, seres humanos? É sobre esse tema que vamos meditar.
A Bíblia foi dada com finalidade bem definida: 1ª finalidade, salvar o ser humano do pecado e da condenação eterna; 2ª finalidade, educar e treinar os cristãos a fim de que vivam de acordo com a vontade de Deus; e 3ª finalidade, glorificar a Deus.
Esses são os três objetivos de Deus ao dar a Bíblia ao ser humano. São três finalidades.
Vamos agora falar acerca de cada um desses objetivos.

a)   Primeira finalidade. O propósito fundamental da Bíblia é salvar. Dos três propósitos citados antes, a salvação do ser humano é o propósito mais importante. Sem esse propósito de salvar não poderíamos nem pensar nos dois outros propósitos, que é viver de acordo com a vontade divina e glorificar a Deus.
A Bíblia fala que o ser humano foi criado santo e perfeito para uma vida de alegria e bem-aventurança na comunhão de seu Deus. Mas, em virtude do pecado cometido no Jardim do Éden perdeu tudo isso, e ficou sujeito à morte eterna. A Bíblia diz em Gênesis 3.6-7 o seguinte: “Vendo a mulher que a árvore era boa para se comer, agradável aos olhos e árvore desejável para dar entendimento, tomou-lhe do fruto e comeu e deu também ao marido, e ele comeu. Abriram-se, então, os olhos de ambos; e, percebendo que estavam nus, coseram folhas de figueira e fizeram cintas para si.” Em Romanos 5.12 diz que: “assim como por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado, a morte, assim também a morte passou a todos os homens, porque todos pecaram.” No mesmo livro de Romanos, 6.23, o Espírito Santo fala: “porque o salário do pecado é a morte”.
A partir desse fato altamente desastroso, o ser humano perdeu a imagem de Deus, perdeu a santidade, perdeu a perfeição, não conseguia mais agradar a Deus, a viver de acordo com a vontade de Deus, a satisfazer as exigências de santidade e justiça de Deus. Tornou-se inimigo de Deus. Depois da queda em pecado, todos os descendentes do ser humano nasceram, nascem e continuarão a nascer com natureza pecaminosa, com natureza separada de Deus, com natureza tendente ao mal, com natureza voltada a satisfazer seus próprios desejos pecaminosos. Romanos 8.7 registra que “o pendor da carne é inimizade contra Deus, pois não está sujeito à lei de Deus, nem mesmo pode estar..
Com essa tendência pecaminosa o homem era absolutamente incapaz de operar sua própria restauração. Perdido em delitos e pecados, estava destinado à condenação eterna. Não existia outro caminho, não existia outra solução. Por suas próprias forças não conseguia voltar ao estado de santidade e perfeição. Suas melhores obras, diante da justiça de Deus, transformaram-se em lixo, conforme fala a Bíblia: Isaías 64.6:Mas todos nós somos como o imundo, e todas as nossas justiças, como trapo da imundícia; todos nós murchamos como a folha, e as nossas iniqüidades, como um vento, nos arrebatam.”.
Essa era a condição tenebrosa do ser humano por causa do pecado do Éden.
No entanto, movido por sua infinita compaixão e graça Deus resolveu salvar o homem desse estado de perdição eterna, reconciliando-o consigo mesmo.
Como Deus fez para resolver o problema espiritual do ser humano pecador?
Aqui é que entra a história mais incrível de todos os tempos. Deus resolveu, ele mesmo, na pessoa de Jesus Cristo, vir a este mundo na forma de um ser humano para resgatar a humanidade caída em delitos e pecados.
Dois problemas tinham que ser resolvidos para que o ser humano fosse reconciliado com Deus: Primeiro, satisfazer a santidade de Deus; e segundo, satisfazer as exigências da justiça de Deus.
Sendo absolutamente impossível ao ser humano satisfazer essas duas exigências divinas, Deus mesmo teve que assumir a forma humana para cumprir, ele mesmo, essas exigências. Somente Deus era capaz de cumprir suas próprias exigências.
Nesse propósito, o Deus Filho, o Senhor Jesus Cristo, veio a este mundo na forma de homem e cumpriu a santidade de Deus, observando rigorosamente toda a lei divina e não cometendo nenhum pecado. Mas não bastava apenas cumprir a lei; o pecado cometido no Éden e que é atribuído a todo ser humano também deveria ser pago. Por causa desse fato é que Jesus teve também de sofrer o castigo. Na cruz do calvário sobre Jesus foi descarregado toda ira de Deus. Jesus ali pagou todos os nossos pecados. Naquela cruz maldita, Jesus satisfez inteiramente e de forma plena a justiça de Deus. A ressurreição de Jesus prova sem sombras de dúvidas que Deus aceitou o sacrifício de seu Filho realizado em favor do pecador.
Essa é a principal e mais importante finalidade das Escrituras Sagradas: Anunciar que Jesus satisfez a santidade e a justiça de Deus. Que agora estamos reconciliados com Deus. Que Deus nos aceita e nos perdoa por causa da obra que Cristo realizou em favor da humanidade. Que a salvação está ao alcance de todos. Que essa tão grande salvação somente pode ser recebida pela fé em Cristo Jesus. No livro de Efésios 2.8-9 lemos: “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie.”. Em João 3.16 está escrito:Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.”
Assim, quem crer em Jesus como salvador pessoal recebe de graça a vida eterna de bem-aventurança, lugar onde viverá em perfeita harmonia louvando e glorificando a Deus. Isso é EVANGELHO. Esse evangelho é o objetivo principal da Escritura Sagrada. Essa é a finalidade fundamental da Escritura. João 5.39 diz: “Examinais as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna, e são elas mesmas que testificam de mim”
A finalidade principal da Bíblia, portanto, é salvar o ser humano da perdição eterna, por intermédio da graça de Deus mediante a fé na obra redentora de Cristo Jesus.

b)  A Segunda finalidade da Bíblia é ensinar e treinar a todos os crentes em Cristo para servirem e observarem a vontade de Deus. Em 2 Timóteo 3.16-17 nós lemos que “toda Escritura é...útil para...a  educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra”. Essa finalidade só existe porque existe a primeira finalidade. Sem a primeira finalidade essa segunda finalidade não existiria. Assim como Deus somente nos aceita para a salvação mediante a fé na obra redentora de Cristo, também somente por meio dessa mesma fé em Cristo Deus aceita nossas obras. Para Deus, fora da fé em Cristo não existe boa obra. Deus somente recebe nossas obras por causa de Cristo.
Depois de salvo pela GRAÇA de Deus mediante a fé em Cristo Jesus, o ser humano passa a ter prazer na lei do Senhor e na prática de boas obras. O amor de Deus por meio de Cristo deve mover o ser humano a praticar boas obras, tanto no que se refere ao relacionamento com Deus quanto ao relacionamento com o próximo. Os mandamentos divinos foram dados por causa do ser humano, para que por meio deles possamos levar aqui neste mundo uma vida de acordo com a vontade de Deus. Somente Deus sabe o que é melhor para nós. A vontade de Deus é para o bem dos seres humanos.
Dessa forma, a segunda finalidade da Bíblia é ensinar o ser humano a viver de acordo com a vontade de Deus.

c)   A terceira e última finalidade da Bíblia é glorificar a Deus. Em 1 Pedro 4.11 está registrado o seguinte: “Se alguém fala, fale de acordo com os oráculos de Deus; se alguém serve, faça-o na força que Deus supre, para que, em todas as coisas, seja Deus glorificado, por meio de Jesus Cristo, a quem pertence a glória e o domínio pelos séculos dos séculos. Amém!”.
Glorificar a Deus significa honrar, exaltar, tornar nobre o nome de Deus. Significa reconhecer que tudo o que somos e temos é por misericórdia de Deus. Significa reconhecer que o universo foi criado e é sustentado pelo poder de Deus.
De acordo com a passagem bíblica que lemos tudo o que o cristão realiza aqui no mundo deveria ser para a glória de Deus. Em 1 Coríntios 10.31 a Bíblia nos diz que quer comais, quer bebais ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus.”. Assim sendo, o cristão salvo por meio da fé em Cristo deve se esforçar no sentido de glorificar a Deus através dos seus atos diários de vida aqui neste mundo.
Esse, portanto, é o terceiro objetivo da Bíblia, isto é, que Deus seja glorificado por meio da vida do cristão. E essa glória requerida pela Bíblia somente pode ser satisfeita por meio da fé em Cristo Jesus, o único capaz de glorificar a Deus com perfeição.

Nenhum outro livro pode realizar essas três finalidades, porque unicamente Deus pode dizer-nos como podemos ser reconciliados com ele e como devemos adorar e servi-lo. Muitas religiões têm apresentado ao longo da História outras formas de realizar esses propósitos. Nesse intento usam livros e escritos de autores que não foram inspirados pelo Espírito Santo, colocando-os em pé de igualdade ou até em superioridade à Bíblia. Apresentam e pregam também doutrinas formuladas de visões e revelações humanas. Existem hoje no mundo inúmeras religiões fundadas por pessoas que se diziam ou que se dizem ser enviadas ou representantes de Deus na Terra. Cada qual alega que o seu profeta ou mensageiro é o verdadeiro enviado de Deus, e assim dão mais crédito nos escritos, visões e revelações desses mensageiros humanos do que na própria Palavra de Deus, que é a Bíblia.
No entanto, a Bíblia mesma fala que somente ela, e nenhuma outra fonte, é inspiração de Deus. Nenhum outro livro, nenhuma outra revelação, nenhuma visão, nenhum profeta, nem qualquer outro meio, pode substituir a Bíblia. Somente ela é confiável. Somente a Bíblia é palavra inspirada pelo Espírito Santo.

O plano da salvação bíblica separa a Bíblia de todos os demais livros tidos como sagrados. Os demais livros ensinam que o ser humano deve salvar-se a si mesmo de uma ou outra maneira (por meio das obras, principalmente). As Escrituras Sagradas ensinam que Deus salva o ser humano pela graça, por causa de Cristo, por intermédio da fé. Tal plano de salvação a mente humana jamais poderia ter inventado.

A Bíblia Sagrada é uma unidade na qual todas as partes, declarações, doutrinas, mandamentos e promessas estão direta ou indiretamente a serviço do propósito de ensinar aos homens como salvar-se pela fé no Salvador Jesus, e como viver como filhos de Deus neste mundo, para a glória de seu Senhor. É para essa finalidade que a Palavra de Deus deve ser usada. Usá-la para outros propósitos significa tomar o nome de Deus em vão.

Essas são as finalidades da Bíblia: Salvar o ser humano; ensinar o ser humano a viver de acordo com a vontade de Deus; e glorificar a Deus.

Apocalipse 22.17: O Espírito e a noiva dizem: Vem! Aquele que ouve, diga: Vem! Aquele que tem sede venha, e quem quiser receba de graça a água da vida.

Em nome do Salvador Jesus, amém.
Por Grimaldo Schumacker

Um comentário:

  1. ola graça e paz um estudo muito bom e bem detalhado
    que deus continue a lhe dar mas conhecimento

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua participação.